Arquivo da Tag: maionese

Cabana Burger apresenta novo cardápio sazonal

oferecimento

Voltando ao calendário de receitas sazonais, o Cabana Burger traz para a casa novidades em um menu completo com entrada, hambúrguer e sobremesa.

Croquete de brisket defumado e cheddar, duplo smash e pudim de dois leites entram em cena a partir do dia 15 de setembro e permanecem assim durante dois meses em todas as unidades do Cabana, em São Paulo e Rio de Janeiro.

cardápio sazonal entra pela primeira vez no delivery

A casa que abriu suas portas em 2016, ali na Rua Oscar Freire, cresceu de forma impressionante e hoje conta com sete unidades.

Suas receitas desde o começo são declaradamente inspiradas na rede americana Shake Shack, que faz muito sucesso na gringa e criou até o conceito de ingredientes frescos dentro da cultura fast food americana.

Para começar, o chef do Cabana Burger, Felipe Carmelo, criou um croquete de brisket defumado e cheddar, o Brisket Bites (R$24), com seis unidades do quitute feito com pedaços nobres e defumados.

A porção ainda acompanha uma maionese especial feita com picles de jalapeño.

croquete de brisket defumado e cheddar

Provamos e realmente aprovamos. O brisket tem um sabor defumado de verdade, nada de fumaça líquida na receita o que nos gerou um alívio.

Os bolinhos são crocantes por fora e muito bem temperados e cremosos por dentro. O conjunto ficou ainda melhor combinado com a maionese que é levemente picante.

Outra novidade está no Crush Burger (R$24) feito com dois discos de hambúrguer smash (140g), é um clássico de sabor com crostinha tostada, queijo tipo americano (american cheese), cebola e picles cortados em pequenos cubos e molho Cabana.

carne com crostinha tostada, american cheese, cebola e picles

A combinação descomplicada e perfeita de carne com molho junto com aqueles os clássicos ingredientes do burger americano. Sem contar que o pãozinho estilo “potato roll” completa o conjunto.

PudimDim (R$14) é uma das novidades mais afetivas do chef Felipe, que buscou referências nas receitas do chef Flávio Frederico, um dos melhores chefs confeiteiros do país. Em uma nova versão do pudim tradicional, este é feito de leite e uma camada com doce de leite caseiro, sem furinhos e com muito sabor.

pudim feito de leite doce de leite caseiro

Lembrando que pela primeira vez, as novidades sazonais do Cabana Burger também pode ser pedido para delivery, tanto no iFood, quanto no aplicativo do Cabana Burger.

Curtiu esse post? Comente o que achou e não esqueça de seguir o Guia do Hambúrguer nas redes sociais e ficar ligado nas novidades e em mais receitas.

Receita de maionese caseira: aprenda duas maneiras simples e infalíveis de como fazer maionese artesanal

oferecimento

A maionese caseira é o acompanhamento preferido da maioria das pessoas que comem hambúrguer e outros sanduíches. É bem versátil, pode ser feita em diversos sabores e vai bem no seu hambúrguer, porção ou qualquer outra receita.

Na história das hamburguerias paulistanas a maionese caseira é o ingrediente considerado o diferencial e o que destacava uma casa da outra. Mesmo com a popularização dos hambúrgueres artesanais sejam eles quais forem, a maionese é o molho que nunca pode faltar.

Receita de maionese caseira: aprenda duas maneiras simples e infalíveis de como fazer maionese artesanal

Maionese verde (veja nossa receita), de páprica, de bacon, são inúmeras versões e por isso, na receita de hoje, vamos te ensinar uma receita caseira tradicional e você nunca mais vai errar ou fazer feio com os amigos.

Na primeira versão, vamos usar o mixer de mão e na segunda o liquidificador, ambos eletrodomésticos que todo mundo tem em casa. Dá até pra bater na mão usando o fouet ou batedor de arame.

Chega de papo e partiu mão na massa:

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Guia do Hambúrguer (@guiadohamburguer) em


Confira o passo a passo:

Maionese Caseira no mixer de mão

Ingredientes:

  • 200ml de óleo de canola (outros tipos também são aceitos como girassol e soja)
  • 1 ovo caipira (a gema deixa a cor mais amarelinha)
  • Meia colher de sopa de mostarda
  • Sal e pimenta
  • Limão

Modo de fazer:

  • Em um recipiente de 700ml ou com formato semelhante a este despeje o ovo

em um recipiente de 700ml ou com formato semelhante despeje o ovo

  • Tempere com sal e pimenta

tempere com sal e pimenta

  • Coloque algumas gotinhas de limão a gosto

coloque algumas gotinhas de limão a gosto

  • Coloque meia colher de sopa da mostarda, mas é importante lembrar que esse ingrediente pode também ser colocado a gosto

coloque meia colher de sopa da mostarda

  • Despeje uma pequena quantidade do óleo só para ajudar a bater no início

despeje uma pequena quantidade do óleo só para ajudar a bater

  • Nessa versão usamos o mixer em uma velocidade alta para bater a maionese

nessa versão usamos o mixer em uma velocidade alta para bater a maionese por ser uma quantidade consideravelmente pequena

  • Depois de bater um pouco e deixar a maionese mais esbranquiçada, comece a colocar o óleo em fio e continue batendo

depois de bater um pouco e deixar a maionese mais esbranquiçada, comece a colocar o óleo em fio e continue batendo

  • Continue batendo até chegar no ponto correto

continue batendo até chegar no ponto correto

Como fazer no liquidificador

Ingredientes:

  • 400ml de óleo de canola (outros tipos também são aceitos como girassol e soja)
  • 2 ovos caipira (a cor mais amarelinha)
  • 1 colher de sopa de mostarda
  • Sal e pimenta
  • Limão

Modo de fazer:

  • Despeje os ovos completos ou apenas as gemas no liquidificador

em um recipiente despeje os ovos

  • Adicione algumas gotinhas de limão a gosto

adicione algumas gotinhas de limão a gosto

  • Tempere com sal e pimenta

tempere com sal e pimenta

  • Adicione uma colher de mostarda

adicione uma colher de mostarda a gosto

  • Despeje uma pequena quantidade do óleo só para ajudar a bater

despeje uma pequena quantidade do óleo só para ajudar a bater

  • Nessa versão usamos o liquidificador em uma velocidade média alta para come;car a bater

nessa versão usamos o liquidificador em uma velocidade alta para bater a

  • Depois de bater um pouco e deixar a maionese mais esbranquiçada, comece a colocar o óleo em fio e continue batendo

depois de bater um pouco e deixar a maionese mais esbranquiçada

  • Continue batendo e regule a velocidade para mais ou para menos de acordo com que a maionose vai subindo até chegar no ponto correto

continue batendo até chegar no ponto correto

Curtiu esse post? Comente o que achou e não esqueça de seguir o Guia do Hambúrguer nas redes sociais e ficar ligado nas novidades e em mais receitas!

Hambúrguer e drive-in: a combinação que conquistou a rotina dos brasileiros na quarentena

oferecimento

E lá se foram 5 longos meses de isolamento social no Brasil causados pelo combate ao Novo Corona Vírus (Covid-19) nos quais impactos sociais, culturais e econômicos, inevitavelmente foram sentidos e o drive-in que já fez muito sucesso nos anos cinquenta ressurge nesse novo normal.

Dentro do mercado gastronômico, por exemplo, os estabelecimentos passaram a entender os serviços de delivery como uma alternativa essencial para manter seus negócios ativos.

Em nichos como o do entretenimento, ambientes com pouca circulação de ar foram fechados. Salas de cinema ao redor do mundo se viram obrigadas a encerrar suas atividades e só depois da recente flexibilização da quarentena puderam pensar em planos para suas retomadas.

A saída para este cenário tem sido o retorno dos drive-in’s. Muito populares nos Estados Unidos nas décadas de 50, 60 e 70, os filmes exibidos nos telões em ambientes abertos para telespectadores assistirem dentro dos carros, evita a proximidade e o contato entre pessoas desconhecidas.

Hambúrguer e drive-in: a combinação que conquistou a rotina dos brasileiros na quarentena

É claro que nessa retomada cultural, alguns sistemas de adequações foram pensados para o conforto de todo mundo que resolver dar uma saidinha para esfriar a cabeça nesse momento tão tenso.

Os espaços podem contar com bombonieres e food trucks dos mais variados estilos que estão entrando na parceria e vendendo seus produtos para completar a experiência.

Como não poderia ser diferente, hamburguerias não ficaram de fora e vem dando um show nas chapas. A seguir confira algumas que oferecem seus serviços em drive-in´s em diferentes cantos do Brasil:

Cadillac BBQ, Mooca – São Paulo

O estacionamento ao lado do Cadillac BBQ, na casa dedicada a defumados do mesmo dono da hamburgueria Cadillac Burger, ganhou uma nova função. Às sextas e sábados, quem parar o carro ali e abrir o vidro, pode fazer seu pedido e curtir som embalado por música ao vivo.

O cardápio especial para o drive-in mistura receitas dos dois estabelecimentos. Tem taco recheado de brisket (R$ 21,00 o trio), sanduíche de copa de lombo defumada (R$ 30,00 com fritas) e smash burger´s em três versões: cheeseburger (R$ 14,00), cheese salada (R$ 15,00) e original (R$ 16,00).

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cadillac Burger (@cadillacburger) em


Tá Doido Burger, Aeroporto de Brasília

Estacionado no Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek, o Festival Drive-in virou o point da quarentena. Com uma programação de filmes e apresentações musicais, o evento inovou no formato, até na hora de pedir os quitutes para acompanhar o filminho.

Aproveitando o sucesso, o grupo Geléia decidiu implementar uma nova operação dentro do drive-in. A novidade é um contêiner com cardápio digital, em que os comensais vão poder conferir as delícias por um QR (disponibilizado na entrada) e o lanche será levado até o carro.

No menu, queridinhos como o original burger, feito com pão australiano, blend de fraldinha e costela, queijo cheddar, cebola caramelizada, maionese caseira e bacon crispy (R$ 25); o cheese bacon, que leva pão branco artesanal, blend de fraldinha e costela, queijo prato mais tradicional maionese caseira e muito bacon crispy (R$ 24); e o brasiliense, que tem pão branco artesanal, blend de fraldinha e costela, queijo prato e cheddar, cebola roxa, alface, tomate e maionese caseira (R$ 26).

A famosa batata da marca também não poderia faltar. No festival, ela sai a R$ 13.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Burger | R$ 10 (@tadoidoburger) em


Geléia no Festival Drive-In: Estacionamento B do Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek. De 23 de junho a 23 de agosto de 2020. Ingressos a partir de R$ 60,00 (por carro) no site.

Dez itens do cardápio do Mc Donalds que foram um completo fracasso e talvez você não saiba

oferecimento

Se tem uma coisa que ninguém pode negar, é o sucesso que o Mc Donald´s sempre fez. Uma das maiores e mais conhecidas redes de fast food do mundo, a lanchonete conquistou fãs e muitos haters ao longo de sua história.

Dez itens do cardápio do Mc Donalds que foram um completo fracasso e talvez você nem conheça

Mas, como nem tudo são flores, nós do Guia do Hambúrguer, vamos te mostrar alguns fiascos da marca que talvez você ainda não conheça. Confira:

Hula Burger

Um delicioso burger com pão, alface, tomate, molho e… abacaxi? É isso mesmo que você acabou ler. Os católicos norte-americanos sempre levaram a sério a tradição de não comer carne vermelha em dias santos, então visando controlar a queda de vendas nesses períodos específicos, em 1960 a rede lançou essa combinação, que óbvio foi um fiasco.

Hula Burger

 

McDLT

Lançada nos anos 80, a ideia prometia uma facilidade que, na prática, não foi bem aceita pelo público. A ideia era a de que a embalagem mantivesse os lados quente e frio do hambúrguer separados, para que o consumidor só os unisse na hora de comer. Embalagens demais e aquecimento global, uma combinação que tinha tudo para dar errado.

McDLT

McHot Dog

Ao que tudo indica, o item só foi mantido nos cardápios do Japão e vamos combinar que o país não representa nem metade do sucesso da rede mundialmente falando. Salsicha…estranha?

McHot Dog

McFlurry de torta de morango

Você pode até não se lembrar desse, mas é um dos produtos do Mc Donald´s que acabou saindo do mercado mesmo obtendo um sucesso significativo. Ele, aliás, foi uma edição limitada. Alguém aí se lembra?

McFlurry de torta de morango

Nuggets de cebola

Até que se parecem familiares com as famosas onion rings se não levarmos em consideração o formato, mas esse produto tinha tudo para dar certo. O produto foi retirado do cardápio porque era muito difícil manter a variedade apropriada de cebolas em todos os restaurantes da rede. Resultado final? Foram substituídos pelos nuggets de frango.

Nuggets de cebola

Sanduiche de bife fatiado

O famoso churrasquinho grego dos americanos, foi criado em 1979, mas não chegou a passar nem na fase de testes.

Sanduiche de bife fatiado

Arch Deluxe

Essa foi uma das muitas tentativas do McDonald’s de superar o Whopper, do Burguer King, mas não deu muito certo. A campanha publicitária desse sanduíche foi um tiro no pé, já que a intenção era dizer que esta era a opção mais gostosa para os “crescidinhos”.

Arch Deluxe

McStuffins

Esses lanchinhos eram uma espécie de hot pockets que entraram no cardápio, por sugestão de um dos executivos da marca, mas que não permaneceram lá por muito tempo. Os rolinhos, simplesmente, não fizeram sucesso. Será que deu pra perceber o porquê?

McStuffins

McLobster

Apesar de não ter sido um sucesso mundial, o sanduíche de lagosta com cebolinha, maionese e alface, ainda pode ser encontrado em algumas unidades da rede nos Estados Unidos e Canadá.

McLobster

McSpaghetti

Também chamado de delírio coletivo, o McSpaghetti talvez ainda possa ser encontrado nas Filipinas. Mas sinceramente, não deveria…

McSpaghetti

Curtiu o conteúdo? Não se esqueça de acompanhar o Guia do Hambúrguer tanto nas nossas redes sociais, quanto aqui no site!

Dock Burger – Tatuapé, São Paulo – SP

oferecimento

Retornamos em uma das hamburguerias mais bem posicionadas do Ranking Guia do Hambúrguer 2018/2019, o Dock Burger que fica na Mooca.

A casa que começou muito, mas muito pequena, já cresceu bastante e hoje conta com 16 lugares.

O estilo permanece o mesmo, decoração industrial, mesas de madeira rústicas e algumas mesas bistrô na parte de fora.

Ela costuma ser bem movimentada, mas não estava cheia porque fomos no horário do almoço.

O cardápio é bem enxuto, a Dock trabalha com cinco opções de hambúrguer, sendo que uma delas é a mais incrementada.

O Grand Parmesano, leva um hambúrguer de 200g, queijo maçaricado, crosta de parmesão, maionese de manjericão e parmesão ralado na hora R$ 39,90.

Nós fomos de clássico, cheese salada, com adicional de bacon por R$ 26,50 e hambúrguer de 160g, o padrão da casa.

05-cardapio-docks-sao-paulo

Para a entrada, escolhemos a porção Fucking Fries, mix de batata frita com batata doce acompanhada de maionese defumada por R$ 25.

A porção chegou junto com o hambúrguer, porque pedimos desta forma. A quantidade é suficiente para duas pessoas. As batatas estavam quentinhas e crocantes, mas um pouco oleosas.

04-batata-docks-sao-paulo

Os dois tipos de batata eram industrializadas, a doce era bem mais gostosa. A maionese defumada estava em consistência correta, mas achamos um pouco enjoativo o sabor muito acentuado. Pelo valor não é uma porção que vale a pena ser pedida.

O hambúrguer veio servido em uma cestinha preta, com a marca da casa em cima.

01-pedido-docks-sao-paulo

O pão estava extremamente leve, tinha um sabor bem acentuado de manteiga, nós gostamos muito.

A salada estava fresca, gostosa e combinou bem com a maionese verde da casa, que estava equilibrada e bem temperada. Preferimos muito mais essa do que a defumada.

O bacon era cortado em fatias grossas, mesmo assim estava gostoso e sequinho, mas não chegou a ser crocante. O sabor suave e sal equilibrado também foram positivos.

02-burger-docks-sao-paulo

A carne veio conforme pedimos, ao ponto para malpassado, bem vermelho por dentro. Provada separadamente faltou um pouquinho de sal para acentuar o sabor, mas mesmo assim estava suculenta, saborosa, em boa textura e densidade.

03-burger-docks-sao-paulo

A Dock Burger prepara um ótimo hambúrguer em um espaço super pequeno.

É uma hamburgueria de bairro que nitidamente sabe o que está fazendo e tem em seu conceito a alma do negócio, simplicidade e sabor.

    Avaliação do Guia do Hambúrguer

  • Hambúrguer3 estrelas
  • Maionese3 estrelas
  • Porção1 estrela
  • Atendimento3 estrelas
  • Espera Não
  • Cheese BurgerR$ 22
  • Hambúrguer VegetarianoSim
  • Preçode R$ 30 a R$ 40 (de R$ 30 a R$ 40)
  • As avaliações do Guia do Hambúrguer são feitas sem aviso e sem conhecimento do estabelecimento, pagamos nossa conta e assim podemos falar a verdade.

Dock Burger

R. Demétrio Ribeiro, 605 – Tatuapé
São Paulo – SP
(11) 2478-8948
Delivery: Sim

Big Kahuna – Jardim Paulista, São Paulo – SP

oferecimento

O Big Kahuna, conhecido por ser o “templo do bacon” é uma das mais famosas hamburguerias do Brasil.

01-fachada-big-kahuna-sao-paulo

Já visitamos o local antes, mas dessa vez voltamos para nossa visita de avaliação e saber como está o hambúrguer por lá.

A casa hoje tem um ambiente super descolado, cheia de grafites nas paredes, ilustrações e uma decoração bem moderna, mas nem sempre foi assim.

02-interior-big-kahuna-sao-paulo

03-interior-big-kahuna-sao-paulo

Além do bacon, que já faz parte do espírito do Big Kahuna, todos os hambúrgueres são preparados na churrasqueira a carvão, o que deixa o produto ainda mais saboroso.

Começamos os trabalhos pelas entradas e fomos surpreendidos com uma novidade: agora o Big Kahuna faz suas batatas artesanais, deixaram de comprar as congeladas. Isso mostra que a casa encontrou maturidade e se preocupa em servir sempre o melhor produto para o cliente.

04-cardapio-big-kahuna-sao-paulo

05-cardapio-big-kahuna-sao-paulo

Dentre as mais pornográficas entradas, não podíamos deixar de pedir a porção de batatas fritas com cheddar e bacon por R$ 28,80 as Freaking Fries.

Foram as primeiras a chegar. Muito generosas, como tudo que é servido na casa. Dá para dividir em até 3 pessoas tranquilamente.

Elas estavam crocantes e o molho de cheddar com bacon completava bem a porção.

Poderiam estar ainda mais crocantes, mas não faz muito tempo que começaram a servir as batatas preparadas pela casa, é normal que ainda existam alguns deslizes. De qualquer forma, o sabor é bem melhor do que as congeladas e o custo de produção acaba sendo bem menor.

06-batata-big-kahuna-sao-paulo

Entre as variadas opções para o hambúrguer, uma mais chamativa do que a outra, optamos pela que leva o nome da casa e é uma das mais simples: o Big Kahuna Burger.

O Cheese salada da casa leva bacon (obviamente rs) e você pode escolher entre a versão de 140g por R$ 28,80 ou de 220g por R$ 32,80.

A simplicidade normalmente traria a resposta: esse será o melhor hambúrguer que comeremos em nossas vidas?

Ele veio bem montado, salada por cima da carne e o bacon chamando a atenção já à primeira vista.

07-burger-big-kahuna-sao-paulo

08-burger-big-kahuna-sao-paulo

O hambúrguer é de médio para grande e 220g de carne não é pra qualquer um.

Encaramos e logo sentimos o gosto de grelhado no carvão, isso traz um diferencial sem igual.

Após algumas mordidas notamos que estava um pouco mais malpassado do que pedimos. Não dá para considerar isso como um erro de ponto, mas se tivesse ficado um pouquinho mais, a gordura da carne teria derretido melhor e a suculência seria extrema.

O sabor e a quantidade de sal estavam corretíssimos e o conjunto agradou bastante.

Apenas o bacon poderia estar um pouquinho mais crocante, mas é uma delícia e acompanha perfeitamente o cheese salada.

O pão sustentou até o final e é muito macio e gostoso.

09-burger-big-kahuna-sao-paulo

O Big Kahuna cada vez mais fica conhecido e não é à toa.

O produto que eles servem é feito com excelência, melhores insumos, matérias primas e execução muito bem treinada.

É normal ter um detalhe ou outro para acertar, mas isso é natural para uma casa que quase tudo que serve é produzido artesanalmente.

Méritos ao time Big Kahuna, estrutura e amor com que eles fazem o “Templo do Bacon” existir.

    Avaliação do Guia do Hambúrguer

  • Hambúrguer4 estrelas
  • MaioneseNão avaliado
  • Porção3 estrelas
  • Atendimento4 estrelas
  • Espera Não
  • Cheese BurgerR$ 20,80
  •        

  • Hambúrguer VegetarianoSim
  • Preçode R$ 40 a R$ 50 (de R$ 40 a R$ 50)
  • As avaliações do Guia do Hambúrguer são feitas sem aviso e sem conhecimento do estabelecimento, pagamos nossa conta e assim podemos falar a verdade.

Big Kahuna

Alameda Lorena, 53 – Jardim Paulista
São Paulo – SP
(11) 3051-6268
Delivery: Sim

Bullguer – Jardins, São Paulo – SP

oferecimento

A Bullguer cresceu muito rápido nesses últimos 5 anos. Desde 2014 atingiu a marca de 22 lojas no Brasil inteiro.

Com o crescimento da hamburgueria, notamos que mudanças também foram feitas no produto, então chegou a hora de reavaliarmos.

fachada-bullguer-sao-paulo

Sempre achamos o conceito da bullguer incrível e por um preço justíssimo.

Eles se intitulam o 1° smash burger do Brasil, mas é bem difícil afirmar isso, principalmente pela quantidade de hamburguerias espalhadas pelo país. Sabemos até de hamburgueria conhecida que já faz smash bem antes deles, mas não queremos entrar nessa briga.

A questão principal é que a Bullguer, sem dúvida, difundiu a técnica que hoje virou febre.

Algumas pessoas adoram inventar regra sobre gramatura da carne, ponto, forma de esmagar etc. A realidade é a de que o smash é apenas uma técnica de preparo, isso não garante que a qualidade ou resultado seja melhor ou pior.

Nessa avaliação resolvemos ir em uma loja nunca antes visitada por nós, a Bullguer dos Jardins.

Logo na entrada, notamos que as novas casas não oferecem serviço de mesa. O esquema agora é ir direto para o caixa fazer seu pedido.

caixa-bullguer-sao-paulo

ambiente-bullguer-sao-paulo

O cardápio continua o mesmo e a cada mês eles criam uma receita especial.

04-cardapio-bullguer-sao-paulo

A escolha da vez foi o Clássico Lumberjack, pão, carne, bacon, picles e molho por R$ 22.

Como acompanhamento, a Cheese Fries por R$ 14, uma porção de batatas onduladas servidas com creme de cheddar por cima.

Para beber, uma berry lemonade, limonada feita com limão Tahiti e siciliano, amora e açúcar por R$ 9.

Não se engane com os preços e o esquema de atendimento, nosso pedido totalizou R$ 45, o que não dá pra considerar barato.

Recebemos nosso pager e aguardamos o pedido ficar pronto.

Sem demoras retiramos a bandeja no balcão.

Ótima apresentação, as Cheese Fries dão água na boca, assim como a Berry Lemonade.

pedido-bullguer-sao-paulo

As batatas estavam super crocantes, com tempero em pó da casa e cobertas pelo molho de cheddar.

batata-bullguer-sao-paulo

A maionese é cortesia da casa e vem servida em um copinho pequeno. É uma das nossas preferidas. Bem temperada, consistência ótima e combina bem com as batatas e o hambúrguer.

A porção serve até duas pessoas, tudo depende do tamanho da sua fome.

O hambúrguer estava muito bem montado, pedimos a carne ao ponto (nossa, o smash tem ponto 😱).

Assim que mordemos o conjunto sentimos diferenças na carne e no pão.

O molho estava gostoso, o bacon também e juntos com o picles e o queijo, fazem uma ótima combinação.

hamburguer-bullguer-sao-paulo

A carne estava ao ponto, rosadinha por dentro e suculenta. Quando provada separadamente não é tão saborosa, sentimos que ela está mais neutra e sem a explosão de sabores que costumava ter.

O pão também perdeu seu encanto. Hoje eles usam um bem mais neutro que fica quase imperceptível ao paladar. A consistência estava boa, mas mesmo tendo sido selado corretamente, não acrescentou ao conjunto.

Um dos pontos que notamos é que eles substituíram a manteiga que colocavam na carne por óleo vegetal. A mudança que não agrega em nada no sabor e pode ser um dos motivos pela diferença sentida.

hamburguer-bullguer-sao-paulo

Apesar das mudanças nos protagonistas de um hambúrguer, o pão e a carne, tudo foi entregue conforme o pedido e bem executado.

A Bullguer continua sendo uma ótima opção pra comer hambúrguer, mas sentimos um distanciamento da qualidade e uso dos melhores ingredientes e optando por insumos provavelmente mais baratos e com mais “jeitão” de fast food.

Ninguém disse que era fácil expandir tanto sem alterar a qualidade.

    Avaliação do Guia do Hambúrguer

  • hambúrguer3 estrelas
  • maionese4 estrelas
  • porção2 estrelas
  • atendimento3 estrelas
  • espera nenhuma
  • cheese burgerR$ 18
  • hambúrguer vegetarianosim
  • preçode R$ X a R$ X (de R$ X a R$ X)
  • As avaliações do Guia do Hambúrguer são feitas sem aviso e sem conhecimento do estabelecimento, pagamos nossa conta e assim podemos falar a verdade.

Bullguer

R. Peixoto Gomide, 1088 – Jardins
São Paulo – SP
(11) 2507-3777
delivery sim

Buzina – Pinheiros, São Paulo – SP

oferecimento

O pioneiro dos food trucks de São Paulo se transformou em hamburgueria.

Avaliamos o Buzina Burger, que fica em Pinheiros, zona sul da capital paulista.

fachada-buzina-sao-paulo

Desde o primeiro hambúrguer que comemos por lá, notamos que o lugar é cheio de conceito.

Os food trucks da marca apresentam uma comida mais descomplicada no preparo e com um preço mais acessível, já na hamburgueria, a dupla Márcio e Jorge podem caprichar em receitas mais elaboradas e inspiradas nos clássicos americanos.

Ambos moraram nos Estados Unidos. Márcio é brasileiro, mas Jorge nasceu lá.

interior-buzina-sao-paulo

As porções são variadas e vão além do simplão das batatas fritas.

cardapio-buzina-sao-paulo

Já provamos o guava que é surpreendente, é um tipo de guacamole frita (mistura de avocado, tomate e cebola).

cardapio-buzina-sao-paulo

Desta vez fomos de Cheezy, porção de fritas da casa cobertas com gruyere cremoso e farofa de bacon por R$ 24.

fritas-buzina-sao-paulo

Elas vieram em um prato de alumínio e servem até 3 pessoas. O molho vem sobre as fritas da casa em porção bem generosa.

Elas não estavam tão crocantes, mesmo as que não estavam envoltas no molho.

Já comemos versões melhores por lá. O molho de gruyere é gostoso, mas acabou ficando um pouco enjoativo pelo tamanho da porção.

fritas-buzina-sao-paulo

Fizemos o pedido. O primeiro foi o Brooklin feito com hambúrguer da casa, queijo gruyere fatiado, ovo com gema mole e bacon por R$ 29.

burger-brooklin-buzina-sao-paulo

O segundo é uma de nossas combinações favoritas, o Oklahoma, hambúrguer smash prensado com cebola na chapa, picles e queijo cheddar inglês por R$ 21.

burger-oklahoma-buzina-sao-paulo

Algum tempo depois chegaram os burgers, servidos em pequenas assadeiras redondas forradas com o papel da casa.

Só de olhar dava para ver que o Oklahoma estava ao ponto, suculento e rosado por dentro.

Bastou a primeira mordida para que fizéssemos a constatação. Um sabor de manteiga é bem presente no hambúrguer que agrada nosso paladar.

O ovo no Brooklyn estava perfeito, gema bem cremosa e clara firme, temperado com sal na medida.

O bacon era cortado mais grosso e apesar de artesanal e gostoso, poderia ser crocante.

A carne veio no ponto que pedimos: ao ponto para malpassado. Mas em relação à textura, achamos um pouco compacto e faltando gordura no blend.

No geral estava gostoso, mas houve essa falha.

O pão padrão da casa é o comum, vem bem selado e macio por dentro, sustentou o hambúrguer do início ao fim sem dificuldades.

burger-brooklin-buzina-sao-paulo

O Buzina se saiu muito bem na avaliação.

Confessamos que já comemos melhor por lá em outras visitas.

Desta vez em visita oculta a ideia é se passar por um cliente comum e que os burgers sejam preparados da forma que fazem regularmente.

É por essa razão que nossa avaliações são feitas sem aviso prévio ou identificação.

    Avaliação do Guia do Hambúrguer

  • Hambúrguer3 estrelas
  • MaioneseNão Avaliada
  • Porção3 estrelas
  • Atendimento3 estrelas
  • EsperaNenhuma
  • Cheese BurgerR$ 17
  • Hambúrguer VegetarianoSim
  • Preçode R$ 30 a R$ 40 (de R$ 30 a R$ 40)
  • As avaliações do Guia do Hambúrguer são feitas sem aviso e sem conhecimento do estabelecimento, pagamos nossa conta e assim podemos falar a verdade.

Buzina Burger

R. Cunha Gago, 590
São Paulo – SP
(11) 3031-0946
Delivery: Sim