Kod abre em Pinheiros e prepara suas carnes e hambúrgueres na brasa

Fachada - Kod

Após algum tempo da inauguração do Kod em Pinheiros, resolvemos dar uma passada por lá e conhecer. Temos esta mania de não sair correndo a cada porta que abre, até mesmo para poder passar uma visão mais estável da casa.

O fundador do conceito é o publicitário e atualmente chef Bruno Alves. Há três anos ele tinha uma hamburgueria itinerante com o mesmo nome, que acabou encerrando suas atividades. Neste meio tempo, abriu uma banca de temperos no Mercado Municipal de Pinheiros, a Dëlika.

E o ramo dos temperos tem muito a ver com o conceito do atual Kod. O chef Bruno Alves usa em cada tipo de carne um mix de temperos diferentes. Saindo da linha tradicional exclusiva do sal e pimenta. O resultado é que os clientes podem aproveitar comidas bem diferentes e temperadas com sabores do mundo todo.

Dá uma olhada no cardápio.

Cardápio - Kod

 

 

 

 

O lugar parece com os restaurantes conceito encontrados no Pinterest, super bonito e moderno. Achamos super boa a ideia de guardar o cardápio dentro das mesas. Em cada uma há uma prancha de madeira, onde ficam as folhas do cardápio. Elas encaixam verticalmente em uma fenda nas laterais da mesa, sem ocupar espaço. Economiza o trabalho do garçom de levar e trazer o menu.

A churrasqueira é bem grande e fica no fundo do salão, é hipnotizante ver as carnes sendo preparadas e os churrasqueiros em ação.

Hoje, a nossa intenção é experimentar os burgers e ver do que o Kod é capaz. Lógico que não poderia faltar uma uma entrada. Pedimos a batata Frikles que são empanadas – não lembramos de ter comido algo assim antes.

A porção é servida em uma caneca de ágata, suficiente para duas pessoas. As batatas estavam crocantes e gostosas. Mesmo sendo gostosas, talvez não seja uma porção que dá vontade de comer toda hora – o bom é que você só encontra no Kod.

Batatas Frickle - Kod

Pedimos dois burgers, um era o Adão, blend de costela bovina, queijo canastra, cebola caramelizada, rúcula e maionese de alho confitado por R$ 26,00. E o outro eleito foi o Sister Rosetta, hambúrguer, duplo cheddar inglês, molho bèrnaise, cogumelos refogados e cebola roxa por R$ 26,00. O primeiro pedimos ao ponto e o segundo ao ponto para mal passado.

Demorou um pouquinho para ficarem prontos, mas isso não é um problema, se não estiver em um almoço comercial de 1h. Principalmente as carnes, por serem altas, levam um pouco mais de tempo para serem finalizadas na parrilla, fique atento.

Os hambúrgueres chegaram. A apresentação é bem original, principalmente pelo pão que chama a atenção à primeira vista. Tudo com aparência de artesanal e exclusivo, gostamos disso.

Adão - Kod

Os ingredientes estavam em uma proporção boa, nada de exageros.

O erro foi no ponto da carne, o Adão era ao ponto, mas deveria estar mais rosado. O Sister Rosetta estava ao ponto para bem passado, fora do aceitável. Alertamos o garçom que se prontificou em trocar.

Sister Rosetta - Kod

Rapidamente o hambúrguer foi substituído e, olhando de fora, dá para perceber a diferença pela lateral do disco de carne. Os ingredientes estava bem equilibrados, mas faltou um sabor mais marcante no conjunto.

Sister Rosetta no ponto correto - Kod

O pão foi o ponto fraco, apesar da aparência incrível, lembrava um croissant sem a parte da crocância. E podia ser mais leve, a massa era rústica demais para um hambúrguer.

O ponto da carne estava exato na segunda chance, ainda sim faltou suculência e um pouco de sabor no blend. Talvez um pouco mais de sal resolvesse o problema e realçasse mais o sabor.

Ponto da carne - Kod

Poderiam até usar alguns temperos além do sal e da pimenta, chegando a um resultado diferente e original. Claro, deixando espaço também para o bom e tradicional hambúrguer com sal e pimenta apenas.

Algumas hamburguerias americanas usam o artifício de alguns temperos em pó para adicionar picância ou um sabor suave, basta deixar o cliente ciente disso como fazem em outros pratos. E lógico, nada de mascarar o sabor da carne nem transformá-la em uma almôndega ou tentar picar cebola e misturar na carne, mas extrair o que há de melhor na combinação.

O Kod nos pareceu uma boa novidade, anda terá um tempo para amadurecer e encontrar o seu caminho. Isso significa que eles tirarão alguns itens do cardápio, mudarão outros e se ajustarão até que cheguem a uma certa estabilidade. Neste momento voltaremos e avaliaremos, quem sabe não veremos eles novamente em nosso ranking dos 50 Melhores Hambúrgueres do Brasil.

Kod

Rua Simão Álvares, 49 – Pinheiros
São Paulo, SP
Telefone 3360-8189
delivery não